O que nunca mais vai se repetir é o que torna a vida tão doce.

Emily Dickinson

fechar

Close

Boa formulação de objetivos

Uma das coisas que mais me encanta na PNL – Programação Neurolinguística é, sem dúvida alguma, a “boa formulação de objetivos”. Com ela nos tornamos mais conscientes e mais capazes de alcançar nossos objetivos, é inegável que ela funciona e funciona muito bem!

De acordo com este processo, o primeiro passo é saber exatamente onde queremos chegar, para a PNL é neste momento que tomamos consciência do “estado desejado” e existem algumas regras que ajudam a tornar este passo mais assertivo, são elas:

  • Ser positivo: o estado desejado deve ser descrito de maneira positiva, é muito melhor correr na direção daquilo que você quer do que fugir daquilo que você não quer;
  • Estar sob seu controle: alcançar o estado desejado deve depender prioritariamente de você, é impossível transferir esta responsabilidade para um terceiro, ela é sua;
  • Ter coerência e consistência: em outras palavras, seus objetivos devem ter o tamanho adequado e serem desafiadores ao mesmo tempo em que são condizentes com a sua realidade.

Concluindo este passo, é importantíssimo que você saiba exatamente o que vai ver, ouvir e sentir ao atingir seu objetivo, as evidências sensoriais são decisivas, fortes, motivadoras e nos impulsionam na direção do que queremos alcançar, além de serem um importante ponto de checagem para saber se você está na direção certa, se está realmente chegando onde quer.

Além das evidências sensoriais, você também precisa contextualizar seu objetivo, pensando em onde você vai estar, quem estará lá com você e, principalmente, quando tudo irá acontecer. Sim, seus objetivos precisam de prazo para não se perderem no tempo e para evitar a procrastinação natural. Você também precisa refletir se existe algum contexto em que você não queira atingir seu objetivo, algum lugar onde não queira estar ou alguma companhia indesejada.

E como ninguém existe sozinho neste mundo... a PNL recomenda que seja feita a “verificação ecológica”, que nada mais é do que o estudo das consequências de nossos objetivos em nossa própria vida e na vida das pessoas que fazem parte de nossos sistemas: família, amigos, colegas de trabalho, companheiros.
Estudar as consequências implica em refletir muito sobre o impacto geral deste objetivo, as perdas e ganhos, o quanto ele pode prejudicar ou modificar a vida de alguém muito próximo de você.
E por último, é importante pensar se existe alguma limitação para o alcance deste objetivo, quais são os recursos necessários para alcançá-lo (tanto os recursos externos, como os financeiros, quanto os recursos internos, como autoconfiança, flexibilidade, coragem). Também é muito importante que você sempre tenha um “plano B” e que ele não seja encarado como um prêmio de consolação, e sim como uma forma alternativa de realizar seus sonhos.

Quem tem foco e sabe o que realmente quer, exercita sua percepção para identificar os sinais destas conquistas e tem flexibilidade o suficiente para fazer as adaptações necessárias, sempre consegue transformar sonhos em realidade.

Loading...
Loading...